Pavimento pélvico e saúde sexual

Atualizado: há um dia

Há tantos mitos, preconceitos e secretismos em torno da zona genital, incluindo o pavimento pélvico obviamente, que quase parece algo que não nos pertence, algo que só entra em cena se se for uma pessoa mais velha ou se se tiver bebés. Começa a haver uma ideia do que é o pavimento pélvico, mas há ainda - quer para profissionais quer para a comunidade - muito pouco conhecimento sobre a sua importância, as suas funções e o impacto que este pode ter na saúde.


Quando converso com as minhas pacientes ou com as mulheres da minha vida pessoal, sinto que há ainda muito trabalho para fazer em termos de educação para a saúde (pélvica). Não passa (apenas) por ensinar a anatomia (que também o faço, de uma forma simples), mas mostrar a importância que estas estruturas têm para a saúde em geral e saúde sexual, em particular.


Vamos começar pelo início? Onde se localiza o pavimento pélvico:

Os músculos do pavimento pélvico são uma "rede" de músculos localizados na parte inferior da bacia (pélvis). Como se fossem mesmo um pavimento que suporta tudo o que está dentro da barriga.


As principais funções do pavimento pélvico são:

  • Suporte de nossos órgãos pélvicos

  • Continência (trabalham para conter a urina, gases, fezes)

  • Função sexual - os músculos ao redor da abertura da vagina relaxam para permitir a penetração no canal vaginal e também auxiliam na contração rítmica do orgasmo





Como é que os músculos do pavimento pélvico se relacionam com a saúde sexual:


Os músculos relaxam e alongam para permitir que, no sexo penetrativo, o pénis ou um brinquedo - ou o que quer que queiram usar, desde que não se esqueçam de cumprir as normas de higiene e segurança - entre no canal vaginal. Se os músculos se mantêm contraídos ("tensos"), não será possível, ou pelo menos, não será fácil, haver penetração.


Estes músculos também ajudam no orgasmo e fornecem a contração rítmica associada ao clímax.

O tecido cicatricial decorrente de uma cirurgia anterior ou traumatismo nessa zona, o que também pode dificultar a penetração.



Deixo-lhe alguns indicadores que vão ajudar perceber se o seu pavimento pélvico vai bem de saúde

  • (In)continência - perde ou não urina, fezes ou gases

  • Prolapsos de órgão pélvico (dor/peso no fundo da barriga)

  • Dor no sexo penetrativo

  • Trânsito intestinal - se tem ou não de fazer esforço evacuatório

  • Esvaziamento da bexiga e dos intestinos - completo ou incompleto

  • Necessidade frequente/urgente de urinar

  • Gravidez e parto - vaginal ou cesariana - como se desenrolou

No entanto, com ou sem estas queixas, sexo não deve ser doloroso. Se tem alguma, é hora de prestar atenção e recorrer a um/a fisioterapeuta pélvico/a ou médico/a.


Alguns estudos afirmam que um pavimento saudável pode aumentar a qualidade do orgasmo, espero que isto seja um bom motivo para refletirem. Mas se o sexo é desconfortável, se há dificuldade na penetração ou até na micção após a relação sexual, valerá, com certeza, a pena fazer uma avaliação para ver se, e como, é possível ajudar.



Como trabalhar o pavimento pélvico… muito além dos kegels

#tokegelornottokegel ,como diz a minha colega Andreia Antunes.

O exercício é, realmente muito importante e também muito negligenciado por nós.

Nas minhas sessões há quase sempre exercício incluído. O pavimento pélvico é composto por músculo esquelético, tal como o bicípite ou quadricípite, portanto, a força, a resistência e o controlo da contração, assim como o relaxamento adequados são muito importantes.


A internet entope-nos de informação (muitas vezes lixo) acerca dos famosos exercícios de Kegel, prometem-nos uma linda e "apertada" vagina, mas isso não é necessariamente o ideal para a saúde. Trabalhar o pavimento pélvico, no sentido de otimizar a sua função, é muito mais do que apenas contrair e apertar tudo ali em baixo, enquanto se aguarda numa fila de trânsito ou se estruge a cebola. Este trabalho requer parametrização, consistência e concentração para uma boa coordenação com a respiração e outras estruturas centrais e recrutamento em várias posições - não vivemos (mas quase) sentados/as!


Como acima referido, estes músculos também precisam de relaxar e alongar, para além do trabalho de força e resistência. Utilizo muitas vezes o exemplo do bicípite, pois parece-me bastante fácil de visualizar: não se anda por aí com o bicípite contraído o dia todo, ele relaxa para que possa esticar o cotovelo. O mesmo é válido para o pavimento pélvico - estes músculos precisam se alongar e relaxar, como outros músculos esqueléticos.



Como saber quando é o momento de recorrer à fisioterapia pélvica?

Fisioterapia Pélvica

Sempre que um desconforto se mantém e não o consegue contextualizar. Por exemplo: parceiro/novo/a, nervos, desconhecimento… a coisa não corre logo às mil. Isto pode não ser motivo de preocupação, mas se o desconforto se repete uma e outra vez, deve procurar ajuda.

Se já tem sintomas há algum tempo, nunca é tarde, pode sempre vir ter comigo para uma consulta de fisioterapia pélvica e vemos o que juntos/as podemos fazer para melhorar a sua saúde, em particular a sua saúde sexual.


Nota Importante: a disfunções sexuais não afetam só as mulheres, ou pessoas com com vulva. Também afetam homens ou pessoas com pénis.